Nova Fábrica Gaúcha de Carros

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

Mais um daqueles e-mails fantástico que você recebe, fica com vontade de passar para os outros. Porém não sabe quem foi o autor para poder dar os créditos.

De qualquer forma divirtam-sem com a história da Nova Fábrica Gaúcha de Carros:

Os diretores da ‘ARG’ – Autos do Rio Grande manifestaram sua intenção de instalar sua primeira filial/montadora da marca, em Santana do Livramento, tendo em vista a proximidade da cidade de Rivera, que facilita o contrabando com o Mercosul. Os gaúchos poderão contar com uma linha de veículos especialmente projetada para as características do chão nativo, atendendo vários segmentos do mercado, com os seguintes modelos:

Charrua: Camioneta para a família, amplo porta-mala-de-garupa, onde se leva o farnel e os apetrechos pro mate, muito espaço pra espalhar as patas, na frente e atrás. Nas versões QB (Quanto Badulaque) e CT (Cheia de Tralha). Depois de velha, dá prá cortar e fazer picape.
Minuano: Carro esporte, nas versões MB (Metido a Besta) e CF (Cheio de Frescura). Grande penetração aerodinâmica, mais assanhado que lambari de sanga. É carro pra quem tem guaiaca cheia.
Taura: ‘Top’ de linha, tipo sedã limãozine. Revestimento interno de pelego sintético importado do Paraguai. Terceiro banco em compartimento isolado, especial para transporte de sogra e guri birrento.
Guasca: Modelo popular de 1000 PV (Pingo-a-Vapor).Nas versões PR (Pé Rapado) e ME (Meio Esgualepado). Bom para quem é pelado de nascença ou como segundo carro da família. Quem tiver um Guasca e outro carro melhor, guarde o carro bom na garagem e deixe o Guasca de fora. A ARG cogita ainda, o lançamento do modelo esportivo Bagual GT (Guasca Turismo), que vai depender das vendas das outras versões do Guasca.

Para conhecer melhor os carros da ARG, vejamos os opcionais:

– Buzina em três padrões: holandesa, hereford e zebu.

– Estofamento em couro de vaca. Se quiser curtido, tem que encomendar.

– Injeção eletrônica. Quem aplica é o João da Pecuária.

– Não precisam de ar condicionado.. Tem vento encanado.

– Fogo de chão opcional. – Não tem macaco. Tem bugio.

– Não tem extintor de incêndio. Tem urinol, que deve ser mantido cheio.

– Três marchas prá frente, uma para trás e duas para a esquerda e duas para a direita, como no vanerão.

– Câmbio paralelo automático, sem esse negócio de ficar pegando na alavanca, porque não pega bem.

– Pára-choques em forma de guampa.

– Não tem portas. Modelos em duas ou quatro cancelas, ‘Hatchê’.

– Sai de fábrica com um rádio que só sintoniza o Omair Trindade.

– Rédea hidráulica opcional.

– Todos os modelos de pneus Michelan fornecidos pela Borracharia do Piriquito.

– Rotação do motor medida em BPM (Boleios por Minuto).

– Porta-luvas equipado com três opções: papel higiênico, sabugo de milho ou folha de mamona.

-Todos os modelos equipados com porta-cuia no console e água para o chimarrão (aquecida com energia solar).

Ecológico uma barbaridade!

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

Jack

Blogueiro, criador do ConteAqui. Escrevo para trazer informação e entretenimento.

You may also like...

Tem algo a acrescentar? Compartilhe nos comentários.