Ainda bem que eu consegui! (largar o cigarro)

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

Ainda bem que eu consegui!!!

Estou falando de largar o cigarro – ele foi meu companheiro inseparável por 50 anos – uma vida inteira!!

E era um paradoxo: eu, que havia enfrentado inúmeras dificuldades para manter a minha liberdade de agir, pensar e sentir – de usar o meu livre arbítrio para ser feliz e produzir felicidade – era escrava de um palito fumegante!

Depoimento de quem conseguiu parar de fumar

Se estava assustada com a difícil tarefa de criar meus três tesouros, fumava. Se estava exultante com as vitórias deles, fumava. Se estava feliz por que algum projeto profissional deslanchava, fumava.

Sozinha ou acompanhada, o cigarro estava sempre junto. Como continuava tendo muito fôlego, quer na natação ou na correria do dia a dia, achava que – olha a prepotência! – pra mim o cigarro não fazia todo o mal que diziam, quando ,a partir dos último 20anos, o fumo passou a ser conectado com câncer e outros males.

Minha cautela era não fumar dentro de casa, me afastando do convívio seja de quem fosse – pais, filhos, netos, amigos – para curtir esta legítima escravidão.

Tudo bem, confortável assim e, “pumba” ! Descobre-se um aneurisma cerebral, pronto para explodir, em região inoperável do cérebro! Bendito aneurisma! Dois anos depois de embolizado e se agravando ( as molinhas podiam escapulir e produzir entupimento da artéria) estava na hora de seguir o conselho de todos os médicos: parar de fumar para que a artéria recuperasse sua original elasticidade e se curasse!

Descobri assim , e não se sabe porque ainda, o fumo prejudica ,nas mulheres, mais as artérias cerebrais (derrame, AVC, etc) e nos homens , as artérias vinculadas ao coração!!

Aí , com o apoio dos meus filhos e noras, compramos o champix – medicamento da Pfizer lançado em 2006 , que anestesia os receptáculos de nicotina dos neurônios, isto é, a crise de abstinência química fica a um nível suportável : nas outras tentativas que havia feito dois sintomas me faziam desistir: dor de cabeça enlouquecedora e pressão arterial muito alta! Dois sintomas que ameaçavam o aneurisma de estourar!.

É lógico que não basta o medicamento: há que estar decidido a se livrar deste pesadelo! Tenho certeza que jamais posso colocar um cigarro na boca de novo, pois é certo que o vício me dominará novamente! Nenhuma tragadinha ? vale a pena. Primeiro , porque deixei a culpa de estar agravando meu estado de saúde diariamente, 20 vezes por dia, e provavelmente , trazendo mais sofrimento pra mim e principalmente, para os meus filhos e netos! Era muito egoismo e irresponsabilidade!

Li tudo que encontrei sobre como largar o vício: usei todas as estratégias – beber água toda a vez que dava vontade, comer palitos de cenoura, muita caminhada, banho de mar, beliscar nozes, damascos, castanhas… mas foi muito fácil: a vontade incontrolável de fumar, não aconteceu – e cada vez que ocorria um problema que me remetia ao cigarro, pensava: e se eu fumar vou resolver o quê? Além disso engordei muito pouco – 4 kg – e já estou perdendo…

Agradeço todo o dia ter conseguido viver sem cigarro: afinal não nasci fumando e tem mais, nem meu pai nem minha mãe fumavam…

Pele, cabelo, olhos, rejuvenescem! Livre de culpa , me sinto com energia e em paz comigo mesma – estou fazendo a minha parte por mim, pelos meus e pelo planeta!!

Estou limpa há três anos e meio!!! Viva!

Gostou deste artigo? Agradeça divulgando:Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on Facebook0

You may also like...

Tem algo a acrescentar? Compartilhe nos comentários.